Guia do pneu - A evolução nas últimas décadas

Responsáveis pela estabilidade e conforto, os pneus são muito importantes para o carro (Foto: Freepik)

A história dos pneus, assim como a dos automóveis, iniciou-se no século XIX, mais precisamente no ano de 1845, quando os irmãos Michelin patentearam o pneu para o automóvel. Após alguns aprimoramentos, principalmente o de Robert Thompson, que colocou uma câmara de ar dentro dos pneus de borracha, eles passaram a ser utilizados em larga escala, e com isso, as fábricas começaram a investir na segurança desses objetos, como por meio da troca de pneus.

Como identificar as marcações nos pneus

Como ler o seu Pneu

Clique na imagem para ampliar.

O que mudou com os pneus nos últimos anos?

No Brasil, os pneus começaram a ser produzidos nos anos 30, com a implementação do Plano Geral de Viação Nacional e com a instalação da Companhia Brasileira de Artefatos de Borracha, popularmente conhecida como Pneus Brasil. A empresa, que foi instalada no Rio de Janeiro, fabricou mais de 29 mil pneus só no primeiro ano de funcionamento.

Com o tempo, juntamente aos carros, os pneus começaram a se tornar mais populares no país, outras fabricantes começaram a produzir pneus e a produção nacional passou a ter mais de 400 mil unidades produzidas. Empresas como Goodyear, Bridgestone, Pirelli e Michelin chegaram ao Brasil. O país, atualmente, é o sétimo maior produtor de pneus para automóveis e o quinto para caminhões e ônibus.

Atualizações e aprimoramentos

Assim como os veículos, os pneus passaram por diversas etapas, sofrendo mudanças e atualizações nos seus formatos, até chegar nos modelos atuais. Inicialmente, eles eram constituídos apenas por um tubo de borracha com várias camadas de tela em seu interior e eram destinados a carruagens puxadas por cavalos. Pouco tempo depois, eles foram aprimorados pela inserção de uma válvula, que permitia o enchimento com ar dos pneus. Esse modelo era destinado a bicicletas, que já eram bem populares na época.

Como o crescimento da indústria de pneus, e a evolução dos automóveis, começaram a circular pneus cada vez mais complexos e mais modernos. Atualmente, os pneus são formados por algumas partes, cada uma responsável por garantir que o mesmo funcione perfeitamente.

O corpo do pneu é dividido em:

  • Banda de rodagem: a parte que fica em contato direto com o chão;
  • Sulcos: responsáveis por drenar a água, refrigerar os pneus e evitar deslizamentos;
  • Ranhuras: por onde passa o ar que refrigera a borracha do pneu;
  • Barras: que geram a tração, responsáveis pela potência;
  • Talão: fios de aço cobertos por cobre, que fixam o pneu na roda;
  • Lonas de reforço: fios de poliéster que reforçam a carcaça do pneu;
  • Cintas estabilizadoras: proporcionam estabilidade na zona de rodagem, protegem a carcaça de impactos e perfurações e restringem o diâmetro do pneu;
  • Lateral: responsável pelo conforto;
  • Ombro: trabalha nas curvas para estabilizar o veículo.

Cuidados com os pneus

Assim como qualquer outra parte do carro, os pneus precisam de cuidados periodicamente, para garantir que eles funcionem perfeitamente. Afinal, são eles que transformam a força do motor em tração, para que o carro possa se movimentar com estabilidade. Caso o motorista não tome os cuidados necessários com essas peças, o carro ficará mais desconfortável e difícil de dirigir, além de gerar possíveis danos em outras peças do veículo.

Cuidados com os pneus

Parte externa do pneu (Foto: Unsplash)

Um cuidado que ajuda a manter os pneus conservados durante mais tempo, e também garante maior estabilidade e segurança para o carro, é calibrar os pneus periodicamente. Calibrar os pneus é regular a pressão interna dos mesmos, por meio da injeção de ar até o valor recomendado pelo fabricante do seu veículo. Isso é extremamente importante, visto que os pneus perdem aproximadamente uma libra de pressão por mês, e andar com a pressão dos pneus desregulada pode aumentar o consumo de combustível, causar danos e consequentemente acidentes. Para saber qual o valor de ar que deve ser injetado no pneu e de quanto em quanto tempo deve ser calibrado, é necessário consultar a seção de calibragem do manual do fabricante, presente em todos os veículos.

Outro cuidado que é fundamental para preservar a vida útil dos pneus é o alinhamento, juntamente ao balanceamento. O primeiro é nada mais que o ajuste dos ângulos das rodas, fazendo com que elas fiquem perpendiculares em relação ao chão e paralelas entre si. Esse processo faz com que o carro tenha a estabilidade necessária para rodar. Já o balanceamento é responsável por controlar as vibrações tanto do volante, quanto de outras partes do automóvel, garantindo a segurança do motorista. É indicado que esses processos sejam realizados a cada 10 mil km rodados, ou após a troca dos pneus.

O rodízio de pneus também é necessário, pois ele garante que o desgaste ocorra de maneira uniforme. Isso acontece pelo fato de que os pneus dianteiros e traseiros são submetidos a pesos e cargas diferenciados. Os dianteiros possuem vida útil menor, pois suportam o peso do sistema de tração, que na maioria dos automóveis fica na parte da frente do veículo. Esse rodízio permite que todos os pneus suportem o mesmo tipo de desgaste, aumentando a durabilidade do jogo por completo. Por isso, o rodízio ajuda não só na segurança, mas na parte econômica também, pois levará um tempo maior para que os quatro pneus sejam trocados novamente.

Como saber se os pneus estão bons?

Pneus com bom funcionamento são fundamentais para a segurança do veículo, garantindo não só a estabilidade da direção e do veículo, tanto na estrada, quanto na cidade, mas também a eficiência e aderência da borracha em contato com o solo, diminuindo a chance do motorista perder o controle do veículo. Por outro lado, pneus “carecas” (nome dado para quando os pneus estão gastos) são extremamente perigosos, e aumentam drasticamente as chances de acidentes, além de poderem resultar em multas graves na CNH.

Para evitar acidentes ou até mesmo multas, é indicado que o motorista leve o carro para fazer uma inspeção regular a cada cinco anos de uso, em um mecânico ou na própria concessionária, para analisar os elementos dos pneus e garantir que eles ainda estejam em boas condições de uso, ou se
chegou a hora de trocá-los.

Mesmo com essa recomendação, é importante que o motorista sempre esteja analisando o estado do seu jogo de pneus, afinal, segurança nunca é demais. Felizmente, existem alguns sinais e testes que alertam o motorista quando está na hora de trocar seus pneus.

O primeiro sinal (e o mais fácil de perceber) são os pneus carecas. Os pneus ficam carecas quando sua vida útil chegou ao fim, com a borracha gasta, eles ficam com um aspecto “liso”, perdendo a aderência ao solo e comprometendo o sistema de frenagem, podendo ocasionar graves acidentes.
Andar com os pneus carecas pode resultar em uma infração para cada pneu careca, caso o motorista esteja com todo o jogo de pneus gasto, ele levará quatro vezes o número de pontos na CNH.

Outro fator que ajuda o condutor a saber se está na hora de trocar o pneu é o marcador ou indicador TWI. Esses indicadores são pequenas elevações presentes na borracha dos sulcos do pneu, e quando o desgaste da borracha atinge esses marcadores, significa que está na hora de trocar o
pneu. Normalmente, a sigla TWI (Tread Wear Indicator) fica ao lado dos marcadores, facilitando a localização.

Por último, verifique se existem bolhas ou inchaços no pneu. Após um certo período de uso, a borracha pode acabar sofrendo deformações. Isso acontece quando a parte interior da peça racha por algum motivo, seja ele por mau uso do motorista, ou um buraco na estrada. Esse dano interno
reduz a precisão do motorista, prejudicando a qualidade da condução, sem falar que nessa condição existe a possibilidade do pneu explodir, podendo causar acidentes graves, como o capotamento, por exemplo.

Amortecedores recondicionados e remanufaturados, explicamos tudo neste post.

Como escolher um bom pneu?

Como já foi falado, os pneus são extremamente importantes para o bom funcionamento do veículo e para a segurança do motorista, portanto é necessário alguns cuidados na hora de comprar um novo jogo de pneus. Para ajudar a tomar essa decisão tão importante, existem algumas dicas na hora de escolher o seu novo pneu.

É importante analisar o índice de desgaste e durabilidade de um pneu em relação ao outro. Ele fica na lateral dos pneus, marcado com um número ao lado da palavra “Treadwear”. Quanto maior o Treadwear, mais longo será o tempo que o pneu levará para se desgastar.

A tração também é um fator crucial, responsável por indicar a aderência que aquele pneu terá em relação ao asfalto, e deve ser analisada com muita atenção. O marcador também fica no pneu, com a palavra “Traction” e a nota, que vai de A a C, sendo A a melhor classificação e C a pior.

Logo ao lado do indicador de tração, existe a marcação da temperatura. Ela também varia de A a C e indica a capacidade do pneu em liberar calor, mostrando o poder de resfriamento do pneu. Todas essas marcações são importantes e devem ser analisadas para saber o custo-benefício dos pneus
na hora de comparar os modelos.

Marcas

Atualmente, as marcas de maior expressão no mercado dos pneus são a Michelin, Goodyear, Continental, Pirelli e Bridgestone. Elas possuem uma grande variedade de modelos de pneus, com diferentes qualidades e diferenciais, atendendo às necessidades de cada consumidor. Normalmente, o preço de um pneu para um carro popular no Brasil fica em torno de R$ 300 a R$ 450, sendo o jogo completo com os 4 normalmente entre R$ 1500 a R$ 2000.

Alguns modelos de pneus que apresentam um bom custo-benefício são:

  • Michelin Primacy 4, que tem um bom desempenho em pistas molhadas e grande durabilidade, o preço médio desse pneu é R$390,00* a unidade;
  • Bridgestone Ep 150, projetado para oferecer economia de combustível e baixo nível de ruído, e tem como preço médio R$399,00* a unidade;
  • Continental Powercontact 2, que traz uma boa dirigibilidade e controle ao veículo e maior resistência a possíveis impactos, custando R$380,00* cada pneu.

*Os valores apresentados podem sofrer alteração sem aviso prévio.

Para adquirir um jogo de pneus, é importante ir a um Auto Center de confiança, que faça um orçamento, forneça as melhores marcas e troque o pneu de seu veículo por um novo, com a qualidade que o seu carro merece!

Compartilhe esse post!

Pajé Amortecedores e Pneus

São mais de 20 anos no mercado e 4 lojas no Rio de Janeiro. Além de trabalharmos com os nossos Amortecedores Remanufaturados, aqui na Pajé você encontra Amortecedores e Pneus das principais marcas com os melhores preços.

Posts recentes

Alinhamento Amortecedores Aro 15 Balanceamento Checklist Revisão Veicular Ecológico Manutenção de Veículo Pneus Primeiro Carro Recondicionado Remanufaturado Revisão Veicular Troca de Pneus

Newsletter

Inscreva-se para receber nossas dicas e novidades.

    Nós respeitamos sua privacidade e apoiamos as boas práticas do Comitê Anti-Spam e órgãos que regulam a internet.